Comidas e Bebidas Infantis :: Kids’ Party Food and Drink

No meu último post contei-vos como montei a festa do Rodrigo, hoje vou falar-vos na comida. Devo dizer que, no que toca a festas infantis, eu parei nos anos 80. Não há grandes sofisticações por aqui — as minhas escolhas recaíram em memórias de infância e em sugestões de algumas amigas sensatas com filhos mais velhos que os meus, bem como naquilo que o Rodrigo me pediu. A saber:
– sanduíches de queijo: como cá não há daquelas bolinhas enfarinhadas óptimas, usei pão de forma e cortei as sanduíches com um cortador de bolachas em forma de flor;
– salame de chocolate (uma iguaria desconhecida aqui na NZ): em vez de fazer um rolo grande, fiz três pequenos, que depois cortei em rodelas e servi em cima de formas de papel (segui esta receita com pequenas alterações);
– bolachas em forma de número 3: experimentei uma receita nova de bolachas de manteiga e gostei mais desta do que daquela que usei para as bolachas de Natal. Como cobertura, fiz uma pasta de icing sugar e água e depois salpiquei-as com sprinkles coloridos.
– espetadas de morangos e mirtilos;
– quartos de gelatina de laranja: o grande clássico das festas infantis dos anos 80. Lembram-se disto? A minha mãe fazia-os sempre. Cortam-se as laranjas ao meio e, depois de espremidas, enchem-se com gelatina acabada de fazer. Põem-se no frigorífico e, no dia seguinte, cortam-se aos quartos usando uma faca bem afiada. Na semana anterior à festa experimentei fazer uma versão mais saudável com sumo de laranja e gelatina natural em pó (cá não há folhas) e ficou horrível (juro que sabia a bife), por isso acabei por usar gelatina de pacote;
– uma taça de smarties;
– sumo de laranja (feito com todas aquelas laranjas que espremi para fazer os quartos de gelatina);
– sumo de melancia e framboesa (receita deste livro — obrigada, Soraia, pela sugestão);
– água.
Para a festa cá em casa, o Rodrigo pediu-me um “bolo amarelo com morangos”, por isso fiz-lhe um pão-de-ló coberto com chantilly caseiro e morangos. Mas quem escolheu o bolo para levar para a escola fui eu! Fiz-lhe um bolo de chocolate e laranja numa forma que aluguei na padaria aqui da vila, e depois cobri-o com smarties (a ideia veio daqui). Segui esta receita mas acrescentei mais duas ou três colheres de sopa de icing sugar à cobertura, de maneira a torná-la mais espessa (para que os smarties se aguentassem no sítio).
OK, so I’ve told you about Rodrigo’s party set up — now let’s hear about the food and drink! I must say that when it comes to children’s parties, I’m proudly stuck in the 80s. There are no elaborate affairs around here — I based my choices on childhood memories and suggestions given to me by no-nonsense friends who have older kids, as well as Rodrigo’s requests. Here goes:

– cheese sandwiches: just sliced bread and cheese, which we then cut out using a flower shaped cookie cutter; 

– chocolate salami: this is a childhood staple in Portugal — you make a dough using powdered chocolate, egg yolks, sugar and Marie biscuits, you shape it like a log before putting it in the fridge for at least 12 hours and then you slice it up. I made 3 slim logs instead of a thick one and placed each small rounded slice on a mini muffin paper case;

– number 3 biscuits: I tried out a new recipe for sugar biscuits and liked it much more than the one I used for my Christmas biscuits. I iced them with a simple paste of icing sugar and water and then we scattered lots of colourful sprinkles on top.

– strawberry and blueberry skewers;

– orange jelly quarters: this was a great classic in Portuguese kids’ parties back in the 80s. My mother always made them! You cut the oranges in half, squeeze out the juice and then fill the empty shells with hot orange jelly. Then they go in the fridge to set and the following day you slice them up into quarters. A few days before the party I made a trial run with a healthy version of the jelly (real orange juice and powdered unflavoured gelatine — I couldn’t find any gelatine leaves) and it turned out absolutely revolting (it literally tasted like beef), so I just went with the packaged stuff instead [jell-o].

– a bowl of smarties;

– orange juice (from all those oranges I used for the jelly quarters);

– watermelon and raspberry juice (recipe from this book — thank you, Soraia, for the suggestion);

– water.

Rodrigo asked for a “yellow cake with strawberries” so I made him pão-de-ló (Portuguese sponge cake) covered with whipped cream and topped with a handful of strawberries. However, the cake he took to preschool was chosen by me… and I went to town with it! Inspired by this cake, I rented a number 3 tin from our local bakery and baked a chocolate and orange cake, which I then covered in smarties. I followed this recipe but added another 2 or 3 tablespoons of icing sugar to the chocolate topping (in order to make it thicker so that the smarties would stick properly to the cake).

(photos: © Constança Cabral)

Festa dos 3 Anos :: 3rd Birthday Party

Para a festa dos 3 anos do Rodrigo fiz um pequeno arraial aqui no nosso jardim. O tempo não estava nada de especial — se tivesse sido em Portugal, acho que nunca teria feito a festa lá fora, mas visto que estes kiwis são bastante mais resistentes ao vento e às temperaturas baixas do que nós portugueses, resolvi arriscar e acabei por não me arrepender. As crianças divertem-se sempre muito mais fora de casa, não acham?
O nosso jardim é a descer e tem vários patamares. No primeiro criei um recanto com colchões, almofadas, poufs, um tapete e alguns brinquedos e livros. No patamar seguinte coloquei duas mesas, uma com comida e a outra com bebidas (amanhã mostro-vos os comes e bebes em pormenor). As decorações de papel são todas portuguesas (as mesmas que usei quando fiz um Santo António dentro de casa, lembram-se?).
Foi uma festa bastante simples mas muito colorida, com tudo feito em casa conforme os gostos e pedidos do Rodrigo. Ele estava entusiasmadíssimo e fartou-se de ajudar, gostei imenso de assistir à alegria e ao empenho dele. Para o ano há mais!
Rodrigo’s 3rd birthday party was a Portuguese-inspired garden party at home. The weather wasn’t great — had this been in Portugal I would never had set up everything outside but since Kiwis are much more tolerant of wind and low temperatures than us Portuguese, I decided to risk it and I’m so glad I did. Children always have more fun outdoors, don’t you think?

Our garden is on a slope and it has different levels. On the first level I created a sitting and playing area with a couple of mattresses, some cushions, bean bags, a rug and a few toys and books. On the next level I placed two tables with food and drinks (I’ll tell you more about that tomorrow). The paper decorations are all Portuguese (the same ones I used when I once celebrated St. Anthony’s day indoors, do you remember?).

It was a simple affair but a colourful one. I made everything according with Rodrigo’s tastes and requests, he was so excited! He was so helpful, committed and happy, it was truly lovely to watch. 
(photos: © Constança Cabral)

O Rodrigo nos Bastidores :: Rodrigo Behind the Scenes

devorando o meu styling de compotas e geleias
devouring my carefully styled spread of jams and preserving equipment

usando a touca de banho (e a minha escova de dentes!!)
wearing the shower cap (and using my toothbrush!!)

a dar cabo da minha fotografia dos biscoitos de canela (e a comê-los, pois claro)
messing up my cinnamon biscuits photo (and eating the biscuits, of course)
dentro do armário do enxoval, sentado mesmo em cima das prateleiras que estávamos a colocar
inside the linen cupboard, sitting right on top of the shelves we were trying to put in place

antes de ter atacado os ramos de Natal
right before he attacked the Christmas branches

em cima da cabeceira de cama que eu estava a forrar
on top of the bed headboard I was upholestering

“ajudando” a minha mãe a forrar um livro, enquanto eu tirava fotografias passo-a-passo
“helping” my mother cover a book while I was taking step-by-step photos
dentro da caixa de madeira que transformei em caixa para lenha, quando eu estava a tentar fotografar o “antes”
playing inside the wooden box that ended up being used for storing firewood, while I was trying to photograph the “before”
posando ao lado da Diana, que estava a ser fotografada com o fio de búzio
posing alongside Diana, who was being photographed wearing the conch necklace
revendo provas do livro
proofreading

Que grande ajudante que eu tive durante o processo de fazer o livro! Este pequeno photobomber foi um verdadeiro desafio… Tentei trabalhar no livro enquanto o Rodrigo estava na escola, mas houve muitas ocasiões em que precisei da ajuda do Tiago e tivemos de trabalhar ao fim-de-semana. Aproveitávamos a hora da sesta, claro, mas invariavelmente o Rodrigo acordava quando ainda estávamos a meio da sessão fotográfica e corria, comia, pisava e atacava tudo aquilo que estávamos a fotografar.
O mais difícil foi mesmo aquela temporada em Lisboa, em que não houve nem escola nem Tiago. A minha mãe ajudou-me bastante, é certo, mas os meus dias foram uma verdadeira correria. Lembro-me de um dia em que levei o Rodrigo a casa da minha mãe de manhã, fui corri três sapateiros à procura de alguém que me colocasse as molas na manta de picnic, voltei a casa da minha mãe para dar almoço ao Rodrigo e pô-lo a fazer a sesta, meti-me no carro e fui até ao Meco fotografar a dita manta, as almofadas de praia e um kaftan (que acabou por não ser incluído no livro). Na praia estava uma ventania tal que as almofadas voaram quase até ao mar — eu parecia uma tonta a a correr atrás delas e tentar fotógrafa-las em todos os ângulos possíveis e imaginários. Depois fui ao pinhal, fotografei a manta, quando me meti no carro começou a chover (uma sorte não ter chovido antes!) e guiei até Lisboa para dar banho, jantar e cama. Uf! Foram umas belas férias…
Mas agora tem muita graça ver estas fotografias. Pensando bem, o Rodrigo merece estar na capa do livro… afinal, fartou-se de participar!
PS. O “Mãos à Obra!” continua a chegar a muitas casas e tenho adorar receber fotografias daquilo que vocês têm feito a partir do livro. Podem vê-las sob o hashtag #livromaosaobra no Instagram e nesta pasta no meu Pinterest. Se quiserem ler opiniões sobre o livro, espreitem os posts da Leonor do blog Home Sweet Home, da Margarida do Pano Pra Mangas e da Margarida do Ei! Kumpel.
What a great helper I had during the process of making the book! This tiny photobomber was a challenge indeed… I tried to work on the book during the hours that Rodrigo was at preschool but I also ended up working on weekends whenever I needed Tiago’s help. We made the most of nap time but invariably Rodrigo would wake up while we were in the middle of a photoshoot and he’d start jumping, grabbing, eating and attacking everything that was at his hand’s reach.

The most difficult time was those 2 months I spent in Lisbon last year, mainly because he didn’t go to school and Tiago wasn’t around. My mother helped me out quite a lot but my days were just so crazy. I remember one particular day when I left Rodrigo at my mother’s in the morning, I went to three cobblers in search of someone who would apply some heavy-duty snaps on my picnic blanket, then went back to my mother’s to feed Rodrigo his lunch and put him down for his nap and then drove to Meco (a beach 40 minutes from Lisbon) in order to photograph that same picnic blanket, the beach pillows and a kaftan (which ended up not being included in the book). It was so windy at the beach that the pillows nearly ended up in the sea — you should have seen me chasing them like a mad woman and trying to photograph them from every possible angle. Then I drove to the nearby pinewood and shot the picnic blanket. The minute I got back in the car it started raining (can you believe my luck?) and I drove back to Lisbon just in time for bath, dinner and bedtime. Uff! Talk about relaxing holidays in my hometown…

But now it’s so funny to look at these pictures. Rodrigo made the cover of the book and he does deserve it… I mean, he really took part in the making of the book!
 (photos: 1- © Diana Basto Ferreira, 2-12- © Constança Cabral)

Animal Print


Alguns rapazes vibram com carros, dinossauros ou super-heróis — o Rodrigo é doido por animais. Música preferida? Old MacDonald Had a Farm. Brinquedos e livros preferidos? Animais e quintas. Desenhos animados preferidos? 101 Dálmatas e o Livro da Selva. 

Confesso que nunca fui grande fã de tecidos com bonecadas mas, quando comecei a ver as reacções do Rodrigo sempre que vê um tecido com animais, mudei de ideias. E, como ando numa de fazer almofadas cá para casa (uma desculpa óptima para experimentar várias técnicas de inserção de fechos éclair… depois partilharei as minhas conclusões), lembrei-me de fazer uma almofada nova para o quarto dele. Como seria de esperar, ele ficou todo contente com os animais!

PS. Para fazer a almofada usei um retalho de um tecido de decoração que encontrei há uns anos no Vidal, em Lisboa.

Some little boys love cars, dinosaurs or superheroes — Rodrigo is crazy about animals. Favourite song? Old MacDonald Had a Farm. Favourite books and toys? Everything that relates to animals and farms. Favourite cartoons? 101 Dalmatians and The Jungle Book.

I must say I’ve never been a huge fan of novelty prints but I’m starting to change my mind, mainly because of Rodrigo’s happiness whenever he sees a fabric with animals. Lately I’ve been making cushion covers for our home (a great way to experiment with different kind of techniques for inserting zips… more on that soon) and Rodrigo’s room was no exception. You should have seen his reaction when he saw his new cushion!

PS. The fabric I used to make the cushion was a home décor remnant I found some years ago in Vidal, a fabric shop in Lisbon.

(photos© Constança Cabral)

Livros Infantis Antigos :: Vintage Children’s Books

Ao longo do mês de Outubro fui mostrando no Instagram uma parte da minha colecção de livros infantis antigos. Não lhes consigo resistir: compro-os em lojas de caridade, feiras de velharias e alfarrabistas por menos de nada e delicio-me com os desenhos. O Rodrigo gosta mais de uns do que de outros, o que é normal, mas normalmente acha-lhes muita graça. 
Durante o mês de Novembro vou mostrar no Instagram as flores do meu jardim, uma flor diferente por dia. Encontramos-nos por ?
All through October I shared on Instagram some of my vintage children’s books. I can’t resist them: I buy them at charity shops, fairs and booksellers for a song because I enjoy the illustrations so much. Rodrigo likes them too, some more than others, and it’s fun reading them together.

During the month of November my theme will be what’s blooming in my garden. I’m going to post one flower a day — let’s meet over there!
(photos© Constança Cabral)

Por Aqui :: Around Here

 

Por aqui estamos todos bem, a crescer e a aproveitar os dias desta Primavera instável (um dia 20ºC, no dia a seguir 9ºC). Finalmente recebi o meu livro e não consigo descrever aquilo que senti quando peguei nele e o abri… felicidade, orgulho e algum alívio. Espero que gostem do resultado!
Gostava imenso que fossem partilhando imagens do livro e daquilo que fizerem com base nele. Publiquem as vossas fotografias na minha página no Facebook, no Pinterest e no Instagram, e usem o hashtag #livromaosaobra. Quem me dera poder estar em Portugal neste momento!
Para a semana vou começar a mostrar os bastidores do livro — acho que tem sempre graça ver aquilo que está por trás, as histórias atrás dos projectos, os locais e até os acidentes.
Um bom fim-de-semana para vocês, seja ele de Outono ou de Primavera!
Around here we’re all fit and well, and we’re trying to make the most of this crazy Spring (one day it’ll be 20ºC and the very next day only 9ºC). I finally received a copy of my book and I can’t describe what I felt when I opened the package and actually touched the book with my hands… joy, pride and a  bit of relief. I hope you’ll like it!
 
Next week I’m going to start sharing some peaks of what went on behind the scenes — I think it’s fun to get to know the stories, places and even a few accidents that occurred along the way.
 
Enjoy your spring/autumn weekend!

(photos© Constança Cabral)

Manhãs Por Aqui :: Mornings Around Here

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em todas as casas com crianças pequenas as manhãs são complicadas de gerir, e nós não somos excepção. Bem, complicadas talvez seja uma palavra demasiado forte… para usar uma expressão francesa, digamos que não são evidentes. Sair da cama, vestir, comer, brincar, gerir birras e choros em uníssono, enfrentar intempéries, enfim. Naquelas alturas em que me sinto algo esmagada, lembro-me de que poderia ser muito pior (um dos meus lemas de vida, que me ajuda a relativizar quase tudo).
Mas, no meio da correria, há sempre momentos bons. Outro lema da minha vida: tentar dar maior importância aos aspectos positivos do que aos negativos. Graças ao telemóvel, tenho conseguido registar muitos desses momentos felizes e tranquilos. Sinto-me tão, mas tão abençoada por ter estes dois rapazinhos na minha vida.
In every household with small children mornings are a juggle and we are no exception to that. Getting out of bed, getting dressed, eating, playing, managing tantrums and unison crying, facing adverse weather conditions… oh well. When I’m feeling a bit overwhelmed I keep in mind that it could be so much worse (one of my life mottos).
 
However, amongst all the hustle and bustle there are always good moments. Another life motto of mine: trying to focus on the positive rather than getting carried away by the negative. Thanks to my phone I’ve been able to record many of those happy, tranquil moments. I feel so incredibly blessed to have these two little boys in my life.
(photos© Constança Cabral)

Por Aqui :: Around Here

 

 

 

 

 

 

Chuva e sol, frio e calor — típico tempo de início de Primavera. Um bebé a crescer e um rapazinho que adora cozinhar. Algumas noites mal dormidas. O jardim a acordar. Projectos de costura que avançam muito lentamente. Muitos livros, muitos puzzles e alguns desenhos animados. Bolos e scones. O Rodrigo (novamente) doente em casa e eu sem saber muito bem como gerir o dia-a-dia. Estamos todos a precisar de apanhar ar! 

 
PS. Tenho andado a ouvir o podcast The Longest Shortest Time e estou a gostar imenso — é sobre os primeiros tempos de maternidade (e paternidade) e acho-o inteligente e bem produzido. Recomendo-o vivamente a toda a gente com bebés pequenos em casa!
 
 
Rain and sunshine, cold and warm — typical early spring weather. A baby that keeps on growing and a little boy who loves kitchen work. A few broken nights. A garden that’s showing signs of life. Sewing projects that progress very slowly. Lots of books, lots of puzzles and some cartoons. Cakes and scones. Rodrigo was sick (again) and I struggled a bit. We’re all in need of some fresh air!
PS. I’ve been listening to The Longest Shortest Time podcast and I’m really enjoying it — it’s about the early days of parenthood and I find it intelligent and well-produced. If you’re a new parent, I highly recommend it!


(photos© Constança Cabral)

Auto-retratos :: Self-Portraits

 

 

 

 

 

 

 

 

Não sou grande fotógrafa, mas acho que tenho um olho razoável e um dia gostava imenso de me dedicar a sério a aprender fotografia. Até lá vou-me divertindo com a máquina do Tiago e com o telemóvel. Comprei um iPhone assim que chegámos à NZ e fico contente por poder registado momentos que, de outra forma, ficariam esquecidos para sempre.
(Por vezes dou por mim a pensar como gostaria de ter podido fazer o mesmo durante os 3 anos em Inglaterra, e até mesmo em fases anteriores: o Inter-Rail pelo sul da Europa, o Erasmus em Paris, a faculdade, as viagens com as amigas, o namoro com o Tiago, a vida de recém-casada…)
Mas voltando às fotografias tiradas com o telemóvel — há uma aplicação que me diverte especialmente: o TimerCam. Conhecem-no? Não é mais do que um temporizador, mas permite 1- tirar auto-retratos em ângulos diferentes (sem ter de estender o braço); 2- apanhar momentos inesperados (especialmente com crianças, porque nunca sabemos o que vão fazer no segundo seguinte!).
Tenho um iPhone 4 e a câmara não é nada de especial, mas vai cumprindo as suas funções. Gosto imenso destas fotografias agora e sei que, um dia mais tarde, vou adorar rever estes vislumbres da nossa vida quotidiana.
I’m not a skilled photographer but I reckon I’ve got a reasonable eye and one day I’d love to dive deep into the world of photography. Until then I’ll keep playing with Tiago’s camera and my phone. I bought an iPhone as soon as we moved to NZ and I’m glad I’ve been able to register moments that would have otherwise been forgotten.
 
(Sometimes I find myself wishing that I could have done the same during those 3 years in England and even in other phases of my life: the Inter-Rail across southern Europe, the Erasmus in Paris, the university days, the trips I took with my friends, the first years with Tiago, life as a newly-wed…)
 
Anyway, back to iPhone photos — I’ve been having lots of fun with a particular app: TimerCam. Do you use it too? It’s just a timer, but it enables you to 1- take self-portraits in all sorts of angles (thus making the whole “reach-out-your-arm selfie” totally unnecessary) and 2- catch unexpected moments (this is especially true when you’re photographing children, as you never know what they’ll do next!).
 
I’ve got an iPhone 4 and even though the camera isn’t brilliant, it performs its function. I love these pictures now and I’m sure that, in a few years time, I’ll treasure these snippets of our daily life.
(photos© Constança Cabral)

Por Aqui :: Around Here

 

Plantámos três árvores de fruto. Cozinhámos e fizemos bolos. Continuei o meu quilt (426 triângulos!). O Pedro dormiu e mamou e engordou. Aproveitámos os últimos dias com a avó. E a Primavera está à porta!
 
We planted three fruit trees. We cooked and baked. I worked on my quilt (426 triangles!). Pedro slept and fed and put on weight. We made the most of the last days with granny. And spring is just around the corner!


(photos© Constança Cabral)