Creative Walls :: Book Review

Às vezes entramos em casas em que falta qualquer coisa. Podem estar totalmente mobiladas e habitadas há bastante tempo, contudo há uma vaga sensação de desconforto que nos assola. E, na maior parte dos casos, a explicação é simples: paredes nuas. Ou então um quadro aqui, outro ali, normalmente pendurados demasiado alto. E depois há outras casas que gritam personalidade, gostos e vivências. E escolhas. Essas casas são aquelas em que as paredes estão cobertas de histórias.

As paredes duma divisão devem ser encaradas como uma tela em branco, na qual podemos expressar livremente a nossa criatividade. É essa a teoria que está por trás do livro Creative Walls: How to Display and Enjoy your Treasured Collections (que me foi enviado pela Cico Books). Geraldine James, a autora deste livro sobre paredes e objectos, defende que a noção de estilo é 100% pessoal e apresenta-nos imagens de casas com paredes extraordinárias, na tentativa de nos inspirar na nossa própria viagem criativa.

Sometimes we go to someone else’s home and feel that something is missing. That home may be fully furnished and lived in for a long time, however there’s a sense of discomfort that creeps upon us. And most of the times the explanation is quite simple: empty walls. Or just one picture here, another one over there, usually hung up too high. And then there are homes that scream personality, tastes and experiences. And choices. Those are the homes whose walls are covered in stories.


The walls in a room should be seen as a blank canvas where we can freely express our creativity. That’s the theory behind the book Creative Walls: How to Display and Enjoy your Treasured Collections (that was sent to me by Cico Books). Geraldine James, the author of this book about walls and objects, believes that the notion of style is 100% personal and presents us with pictures of homes with extraordinary walls as a way to inspire us in our own creative journey.

 

 

Quem disse que as paredes só servem para pendurar quadros? E que os melhores quadros são os pintados a óleo, com molduras de talha dourada e uma assinatura preeminente? Nada disto está errado, e talvez fique muito bem em casa dos nossos avós. Mas, se o objectivo é obter resultados impressionantes, dinâmicos, boémios, imprevisíveis, há que ousar um pouco mais. Se prefere personalidade em detrimento de perfeição, este livro é para si.

Se mantivermos um espírito aberto, tudo é passível de ser pendurado nas paredes de nossa casa. Já aqui falei nisso quando propus que emoldurássemos objectos históricos ou sentimentais. Nas paredes fotografadas para este livro aparecem bilhetes de concertos, colecções de espelhos, fotografias de família, retratos a óleo de desconhecidos, postais e cartões carregados de memórias, antigos sinais de estações de comboio e bombas de gasolina, capas de revistas de moda, cerâmica dos anos 60 e 70, taxidermia (demasiada para o meu gosto, mas enfim), capas de discos, carteiras, pratos… objectos originais, objectos coleccionáveis, objectos históricos, objectos pessoais. Para que esta abordagem funcione, o livro propõe certas técnicas, como definir interesses, agrupar temas e limitar a paleta de cores.

Who said walls are only good for hanging paintings? And that the best paintings are the ones in oil, with  gilded frames and a preeminent signature? None of this is wrong and it may well fit our grandparents’ homes. But if your goal is to achieve results that are impressive, dynamic, bohemian and unpredictable, you’ve got to go a little further. If you prefer personality over perfection, this book is for you.


Provided that we keep an open mind, everything can be displayed on our walls. I’ve already written about that when I talked about framing historic and emotional objects. On this book’s walls we see concert tickets, mirror collections, family photos, oil portraits of strangers, cards filled with memories, old railway and petrol station signs, fashion magazine covers, ceramics from the 60s and 70s, taxidermy (a little too much for my taste…), record covers, bags, plates… original objects, collectable objects, historic objects, personal objects. The trick to succeeding, the author says, is to define interests, group themes and limit the colour scheme.

 

 

 

Mas este livro não é só para aventureiros. Eu, que não me considero especialmente arrojada, revi-me em muitas das sugestões e dei por mim a pensar em algumas das minhas paredes (esta, e esta, e esta, por exemplo). Sei que é um livro em que irei pegar sempre que me apeteça evadir-me ou precise duma dose de inspiração.

But this book is not just for adventurers. I don’t consider myself particularly bold and yet I could relate to a lot of Geraldine’s suggestions and even thought about some of my own walls (such as this one and this one and this one). I know this is a book I’ll grab whenever I’m in need of an inspiration boost or just  pure escapism. 


(photos: Constança Cabral)

12 thoughts on “Creative Walls :: Book Review

  1. Rose Fern says:

    This looks like a really inspirational book. I agree that you can tell a lot by one's wall decoration. I'm all for walls with character and I prefer hanging objects instead of frames. For some reason my walls are almost exclusively decorated with wooden objects or crafts.Still, I don't like clustered walls, at all, especially multicoloured ones. I prefer the statement without the cluster, while I believe that sometimes a plain wall is also a strong statement. I think, it all depends on the architecture of the place.
    Nice posting, Concha!

    Like

  2. sílvia says:

    Que vontade de o comprar! Em casa dos meus pais sempre me habituei a ver pedaços da nossa vida pelas paredes e móveis, os desenhos da minha irmã, as minhas fotografias, memórias e imagens favoritas. Em minha casa, todas as paredes têm histórias para contar, também 🙂

    Like

  3. Anonymous says:

    Constança,

    Há algum tempo que sigo o Saídos da Concha com regularidade. Mas hoje, ao rever alguns posts antigos, apeteceu-me deixar-lhe um beijinho de parabéns pela sensibilidade que revela. Só uma pessoa especial pode criar e executar coisas tão bonitas!

    Ana

    Like

  4. Concha says:

    Ana,

    Queria responder-lhe directamente mas não tenho acesso ao seu email.

    Agradeço-lhe imenso as suas palavras tão simpáticas e encorajadoras. Fico muito contente de saber que gosta de visitar este blog!

    Um beijinho,

    Constança

    Like

  5. Seaweed and Raine says:

    What an amazing book. I love the pic of the office with the David Bowie banner (and the doorway – THAT is cool) and the outdoor looking room with the lavender plant under the table – rustic – but it seems to spell out adventure into another era. 🙂

    Like

  6. Caixa dos Pudins says:

    Olá Constança, quando segui a sua sugestão e comprei o livro Decorate, também comprei este e outros 2 (Rediscovered Tresaures e Modern Vintage Style, que aconselho) e deliciei-me com todos.Tantas ideias, inspiração, a nossa casa só não é acolhedora e gratificante se não quisermos. Obg pelas suas excelentes sugestões, como sempre.Bjs
    Fernanda

    Like

  7. Crown of Love says:

    Já tou de olho num para mim no amazon…é só juntar mais 2 livrinhos que também já os namoro a algum tempo e depois é só esperar e deliciar-me com essas imagens.

    Muito obrigada por as imagens fantásticas

    Kiss Kiss

    Like

  8. Anonymous says:

    I like so much your posts! I have some things that I put in my walls that make sense just for me, I love diferent things like this, is the thing that makes our house, our own house!

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s